Por Nayara Figueiredo

SÃO PAULO (Reuters) – A produção brasileira de soja deve alcançar 132,6 milhões de toneladas na safra 2020/21, uma queda ante as 133,9 milhões de toneladas projetadas no mês anterior puxada pelo baixo volume de chuvas no começo de dezembro, mas que ainda configura um recorde para a temporada, estimou a consultoria StoneX à Reuters nesta quarta-feira.

“O Mato Grosso passou por um considerável período com baixos volumes de precipitação no início de dezembro”, disse em nota o analista de inteligência de mercado da StoneX, João Pedro Lopes.

Segundo ele, por outro lado, no Brasil como um todo, a segunda quinzena de dezembro recebeu boas chuvas e as previsões indicam que o clima deverá continuar favorável ao cultivo da soja.

“Desse modo, as expectativas ainda apontam para uma boa temporada nas principais regiões produtoras e para uma safra recorde no país”, afirmou.

A área plantada com a oleaginosa teve um ligeiro ajuste de 38,317 milhões de hectares para 38,292 milhões.

Ainda de acordo com a consultoria, a projeção sobre a produtividade média da safra 2020/21 no Brasil teve um novo corte, de 3,49 para 3,46 toneladas por hectare. No entanto, a estimativa ainda supera o rendimento de 3,37 toneladas por hectare visto no ciclo anterior.

De acordo com a StoneX, o país, maior produtor e exportador global de soja, colheu 124,53 milhões de toneladas em 2019/20, em uma área de 36,9 milhões de hectares.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).