SÃO PAULO (Reuters) – A safra de soja do Brasil em 2021/2022 deve atingir um recorde de 145,1 milhões de toneladas, estimou nesta quarta-feira a consultoria StoneX, ao ajustar levemente para cima a projeção do mês anterior, de 144,73 milhões de toneladas.

A consultoria citou uma revisão de dados para o Estado de Goiás e destacou que de forma geral o desenvolvimento da safra segue favorável em todo o país.

“As expectativas continuam muito positivas para a safra de soja em andamento, com o plantio estando perto do final”, disse a especialista de inteligência de mercado da StoneX, Ana Luiza Lodi, em nota.

Nos próximos meses, as atenções são direcionadas ao clima, que definirá o potencial produtivo do ciclo.

“Atualmente, o padrão mais seco no Rio Grande do Sul tem gerado receios. Ainda não se pode falar em perdas, uma vez que a safra do Estado é semeada mais tarde, mas essa questão vai ser central, já que a safra gaúcha de soja alterna na segunda posição com a paranaense, atrás somente de Mato Grosso”, destacou.

Além do aumento da produção esperada, não houve ajustes em outras variáveis de oferta e de demanda da safra 2021/22, com a mudança em estoques, para 8,4 milhões de toneladas, sendo resultado das alterações do ciclo anterior.

A StoneX também estimou a produção de milho em recorde de 120,1 milhões de toneladas no ciclo 2021/22, considerando as três safras do país.

A empresa pontuou a produção de milho na segunda safra, a maior do Brasil, em 88,87 milhões de toneladas, ante 87,53 milhões na projeção anterior.

“Como a temporada ainda está em seu início, muitos fatores podem alterar as expectativas. Entre elas, o clima.”

(Por Roberto Samora)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).