Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) – O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu nesta quarta-feira afastar por 180 dias o governador do Tocantins, Mauro Carlesse (PSL), no âmbito de duas investigações policiais complementares que apuram a formação de organização criminosa voltada para o cometimento de crimes contra o plano de saúde dos servidores estaduais, segundo comunicado.

O afastamento tem duração de seis meses, mas segundo a corte pode ser reavaliado a qualquer momento.

A determinação da Corte Especial do STJ confirmou a decisão cautelar do ministro Mauro Campbell Marques. Pela manhã, a Polícia Federal cumpriu outras medidas destinadas a desarticular a organização criminosa e impedir atos de obstrução das investigações na cúpula do governo.

Segundo o comunicado, os inquéritos, que tramitaram sob sigilo, indicaram a presença de indícios do recebimento de vantagens indevidas relacionadas ao plano de saúde e da formação de estrutura montada para a lavagem de ativos, numa investigação iniciada há quase dois anos.

A assessoria do governador não respondeu de imediato ao pedido de comentário.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).