Por Mark Weinraub

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros da soja negociados em Chicago avançaram nesta sexta-feira, ganhando terreno frente aos vencimentos do milho, à medida que o mercado tenta incentivar agricultores dos Estados Unidos a aumentar a área de plantio destinada à oleaginosa, apesar do rali do cereal para o maior nível em oito anos no início desta semana.

“Nas últimas duas semanas, todas as conversas foram sobre o milho, a seca e o tempo frio”, disse Mark Gold, sócio-gerente da Top Third Ag Marketing. “O mercado de hoje foi apenas a soja dizendo ‘não se esqueçam de mim’.”

Os futuros do milho não tiveram direção comum, com os contratos mais próximos recuando em meio à liquidação de posições compradas por fundos, enquanto os vencimentos mais distantes se mantiveram estáveis, apoiados por preocupações com o início do plantio no Meio-Oeste norte-americano.

O trigo cedeu diante de realizações de lucros, após alcançar o maior patamar desde 8 de março no “overnight”.

Todas as três commodities tiveram ralis nesta semana, com o milho engatando a terceira semana consecutiva de altas e o quarto ganho nas últimas cinco semanas.

O contrato maio da soja fechou em alta de 15 centavos de dólar, a 14,3325 dólares por bushel. O vencimento mais ativo da oleaginosa atingiu o mais alto nível desde 1º de abril.

O milho para maio recuou 4,50 centavos, para 5,8550 dólares o bushel, e o vencimento maio do trigo teve queda de 1,25 centavo, a 6,5250 dólares/bushel.

(Reportagem adicional de Naveen Thukral, em Cingapura, e Sybille de La Hamaide, em Paris)

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).