BUENOS AIRES (Reuters) – A Federações dos Trabalhadores do Complexo Industrial de Oleaginosas da Argentina anunciou neste sábado uma nova greve para exigir melhores salários, a partir da segunda-feira, às 6h (horário local).

“Informamos o início de um plano de luta com uma greve nas fábricas esmagadoras (…), diante da pretensão patronal de reduzir os salários em termos reais na negociação paritária”, disse em comunicado.

A Argentina está em recessão desde 2018 e a pandemia da Covid-19 agravou a situação econômica dos trabalhadores, atingidos por uma alta inflação que chegou a 4% em janeiro.

Uma fonte sindical disse à Reuters que a medida de força abrange “sindicatos da federação que têm fábricas e trabalhadores de descaroçamento”.

Na Argentina, é comum esse tipo de greve porque as empresas têm dificuldades para aumentar os salários e acompanhar a inflação, que pode chegar a 50% este ano, segundo analistas.

(Reportagem de Walter Bianchi)

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).