BRUXELAS (Reuters) – Serviços e bens industriais mais caros levaram a uma recuperação da inflação na zona do euro em janeiro após meses de quedas de preços, compensando a energia mais barata, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira.

A agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat, confirmou estimativa anterior de que os preços nos 19 países que usam o euro subiram 0,2% em janeiro sobre o mês anterior e 0,9% na comparação anual, como esperado por economistas.

Os voláteis preços de energia avançaram 3,8% no mês mas ainda estão 4,2% menores do que um ano antes, enquanto alimentos não processados ficaram 1,2% mais caros no mês e 2,0% na base anual.

Sem esses dois componentes voláteis, os preços ao consumidor caíram 0,3% contra dezembro e ficaram 1,4% acima de janeiro de 2020.

A Eurostat informou que serviços, que respondem por dois terços da economia da zona do euro, contribuíram com 0,65 ponto percentual para o resultado final da inflação anual, e bens industriais não relacionados a energia somaram 0,37 ponto. Isso compensou a subtração de 0,41 ponto da energia barata.

A recuperação de janeiro leva a inflação um pouco mais perto da meta do Banco Central Europeu de abaixo mas perto de 2% no médio prazo.

(Reportagem de Jan Strupczewski)

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).