WASHINGTON (Reuters) – A secretária do Tesouro norte-americana, Janet Yellen, pediu nesta quarta-feira que o Congresso aumente ou suspenda o limite da dívida federal o mais rápido possível, alertando que, se os parlamentares não agirem, os Estados Unidos podem enfrentar um sério risco de inadimplência já no mês de agosto.

“Acho que o calote da dívida nacional deve ser considerado impensável”, disse Yellen em participação em subcomitê de dotações do Senado. “Não aumentar o limite da dívida teria consequências econômicas absolutamente catastróficas.”

Yellen afirmou que, para evitar incertezas nos mercados financeiros, o Congresso deveria aprovar um novo projeto de limite de dívida – permitindo que o Tesouro continue tomando empréstimos – antes que a última suspensão vença, em 31 de julho.

No passado, o Tesouro foi capaz de evitar a potencial inadimplência por vários meses, empregando medidas extraordinárias, como a suspensão das contribuições para fundos de pensão de funcionários do governo, mas os gastos com programas de alívio dos impactos da Covid-19 aumentaram a incerteza dos fluxos de caixa do governo.

Essas medidas podem se exaurir em agosto, quando o Congresso entra em seu tradicional recesso de verão, disse Yellen.

(Por David Lawder)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).