Por Rod Nickel

WINNIPEG, Manitoba (Reuters) – A menor safra de canola do Canadá em 13 anos, resultante de uma severa seca, está forçando importadores como Japão e México a pagar mais ou procurar em outros países a oleaginosa de flor amarela.

Com a escassa canola canadense resultando em preços altos, os clientes do maior exportador dessa oleaginosa estão se apoiando mais fortemente em países de produção menor ou em produtos alternativos, como óleo de palma e de soja, aumentando a inflação global de alimentos.

A falta de trabalhadores e pragas também estão afetando a oferta de óleo vegetal.

Os mercados de exportação e os processadores canadenses, que esmagam a canola para produzir óleo para alimentação ou para combustível, e farelo para ração animal, estão enfrentando ofertas muito abaixo do normal.

O Canadá exportou 388 mil toneladas de canola de 1º de agosto até as sete primeiras semanas do novo ano-safra, queda de 71% ano a ano, de acordo com a Comissão Canadense de Grãos.

Com pouco para vender, os exportadores estão principalmente executando as vendas que fizeram antes que os danos da seca elevassem os preços, com os esmagadores canadenses comprando quase todos os suprimentos disponíveis, disse um exportador.

O contrato mais ativo dos futuros da canola na ICE foram comercializados em cerca de 900 dólares canadenses por tonelada, uma alta de mais de 70% ano a ano.

(Reportagem de Rod Nickel em Winnipeg; reportagem adicional de Hallie Gu em Pequim e Pavel Polityuk em Kiev)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).