Levante a mão quem já não se pegou clicando no fundo de uma caneta repetidamente durante uma interminável videoconferência de trabalho? Ou, então, manuseando um clipe, um anel, um pen-drive, ou qualquer outro objeto pequeno para tentar aplacar um pouco a impaciência, o nervosismo, o tédio? Se esse é o seu caso, pode-se dizer que você está familiarizado com os chamados “itens de inquietação” que, por meio do movimento contínuo com as mãos, ajudam a manter a concentração em uma reunião ou tarefa, além de aliviar a ansiedade e o estresse.

“Usar um item de inquietação, como uma pedra lista favorita, ajuda a manter as pessoas focadas e calmas quando estão paradas, levando-as a atingir um estado mais relaxado e contemplativo”, explica Katherine Isbister, professora na Universidade da Califórnia e autora de um estudo sobre o tema, publicado na revista Scientific American. “No que se refere às crianças, apertar uma bola macia ou uma massinha de modelar quando estão com raiva, ou acariciar um brinquedo felpudo quando ansiosas, também ajuda a controlar as emoções.”

Em tempos de Covid-19 – em que qualquer coisa que colabore para melhorar o estado de alerta e a regulação emocional das pessoas é bem-vindo – a novidade é a chegada dos chamados fidget toys, brinquedos sensoriais e antiestresse que são a mania do momento entre crianças e adolescentes de todo o mundo. Sucesso em tutoriais e vídeos no Youtube e Tiktok, eles têm usos práticos tanto para os pequenos quanto para os adultos e vêm em infinitas formas, cores e tipos de materiais. Foram criados para apertar, torcer, puxar, dobrar, girar, empurrar, enrolar, enfim, incentivando todos a explorarem as diferentes possibilidades de cada peça.

Quer uma dimensão do sucesso desses itens? No Mercado Livre, o desempenho da categoria de brinquedos anti-estresse e engenho no primeiro semestre cresceu 590% em valor e 500% em volume em relação ao segundo semestre de 2020. Nas buscas da categoria brinquedos e hobbies, os fidget toys subiram de 3º lugar em março para 1º em maio e junho.

Entre os modelos mais populares estão a splash ball (bola de silicone para apertar, com líquido no interior), a orbeez stress ball (bola de silicone com várias bolinhas de gel dentro), o cube (pequeno cubo com funções em todos os lados, tais como interruptor, engrenagens e “esfregador de dedo”) e o tangle (para torção). Sem falar nos itens tradicionais e mais conhecidos, como o spinner (brinquedo giratório feito de metal ou plástico) e o squishy (feito de espuma de poliuretano e que retorna lentamente à sua forma original depois de comprimido).

O grande destaque, no entanto, fica por conta do “pop it”, uma versão infinitamente reutilizável do popular estouro de plástico-bolha. Feito de silicone, são bolhas de meia esfera que, quando empurradas com os dedos, fazem um som de estalo suave. Depois de “estourar” todas elas, basta virar o brinquedo e começar novamente do outro lado. Nada mais tranquilizador e “satisfatório”.

Cada um, cada um 

Pesquisas relacionadas à busca de sensações, somadas à experiência prática dos terapeutas, indicam que ferramentas como os fidgets toys são úteis ao permitirem às pessoas ajustarem seus ambientes para alcançar o seu nível adequado de estimulação – o que pode mudar ao longo do dia, dependendo das atividades e circunstâncias. E, é claro, de pessoa para pessoa. Há quem precise de silêncio total para conseguir se concentrar, e não se importa em ficar em um mesmo lugar por horas a fio. Outros, por sua vez, ficam mais felizes trabalhando em um ambiente atribulado, barulhento, e tornam-se dispersos e agitados quando obrigados a permanecer na cadeira por muito tempo.

Para esses últimos, principalmente, o grau de produtividade (também) pode passar pela colocação de fones de ouvido em certa hora do dia, por exemplo, ou pelo movimento incessantemente dos pés, pelo tamborilar dos dedos na mesa, ou – por que não – pelo manuseio de um objeto reconfortante.

Do not disturb

O fato é que cada item de inquietação tem características e funções diferentes e, portanto, alguns distraem mais do que outros. Por essa razão, quando o assunto é trabalho, o recomendável é optar por peças que não exijam atenção visual nem incomodem ninguém por conta de seu movimento ou ruído – o que, dependendo, pode ser resolvido apenas acionando o botão de “mudo” da reunião virtual (ou, no caso das crianças, da aula online).

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).