MOSCOU (Reuters) – A Rússia pode aumentar sua safra de trigo para 80,7 milhões de toneladas em 2022, ante 75,5 milhões de toneladas neste ano, apesar das condições climáticas e de mercado desafiadoras, disse nesta segunda-feira a Sovecon, uma das principais consultorias agrícolas em Moscou.

A Rússia é o maior exportador mundial de trigo, abastecendo principalmente o Oriente Médio e a África. O país concorre com a União Europeia e a Ucrânia, entre outros.

“Os agricultores russos têm enfrentado muitos desafios recentemente – a regulação estatal do mercado, elevando os preços dos insumos e o clima seco na segunda metade do verão”, disse em nota Andrey Sizov, head da Sovecon.

“Pelo menos o clima começou a cooperar – as chuvas abundantes no início do outono ajudaram as reservas de umidade em todo o país. Em média, o trigo de inverno agora está na melhor forma vista em vários anos”, acrescentou.

A Sovecon espera que a área total de semeadura da Rússia em 2022 com trigo de inverno e primavera permaneça estável no ano a ano, em 28,7 milhões de hectares.

O trigo de inverno, semeado no outono para a colheita no verão, que normalmente responde por 70% da safra da Rússia, traz um rendimento maior do que o do cereal plantado na primavera e é menos vulnerável a adversidades climáticas.

Os agricultores russos semearam grãos de inverno em 15,3 milhões de hectares para a safra de 2022, uma queda ante 16,6 milhões de hectares registrados no mesmo período do ano anterior, de acordo com o Ministério da Agricultura. Não há dados disponíveis publicamente apenas para o trigo de inverno.

(Reportagem de Polina Devitt)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).