BOGOTÁ (Reuters) – O regulador de comércio da Colômbia emitiu multas no valor total de 295,1 bilhões de pesos (84,5 milhões de dólares) contra membros de um consórcio liderado pela Odebrecht por quebrar regras de concorrência.

A Superintendência da Indústria e Comércio (SIC) anunciou nesta segunda-feira que multou a Odebrecht em 175,6 bilhões de pesos pela participação num plano para restringir a livre concorrência num contrato de 2010. A Corficolombiana foi multado em 55,6 bilhões de pesos, enquanto a Episol – unidade da Corficolombiana e do Grupo Aval – foi multada em 33,8 bilhões de pesos.

Representantes da Odebrecht e da Corficolombiana não puderam comentar o assunto de imediato.

A Odebrecht, que dias atrás anunciou a mudança de nome para Novonor, está no centro de um escândalo de corrupção na América Latina, reconhecendo em 2016 que subornou funcionários em uma dezena de países.

Na Colômbia, a empresa pagou subornos no valor de 30 milhões de dólares em troca de contratos de infraestrutura, segundo investigações do Ministério Público.

O regulador multou a Concesionaria Ruta del Sol – que está em liquidação – em 221,5 milhões de pesos, acrescentou.

Três ex-diretores da Odebrecht na Colômbia e um ex-executivo do Corficolombiana foram multados em um total de 3,56 bilhões de pesos, informou a superintendência, por terem facilitado, permitido ou tolerado o plano de restrição da concorrência.

O ex-vice-ministro dos Transportes, Gabriel Garcia, também foi multado por envolvimento no plano, mas não terá que pagar a multa porque colaborou com os investigadores, acrescentou a SIC.

Em dezembro de 2018, um tribunal colombiano multou o consórcio liderado pela Odebrecht em 250 milhões de dólares e a proibiu de participar de contratos com o governo por 10 anos.

(Por Oliver Griffin e Nelson Bocanegra)

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).