LONDRES (Reuters) – A recuperação da zona do euro da contração econômica induzida pela pandemia foi muito mais forte do que o esperado em abril, uma vez que o setor de serviços se adaptou aos lockdowns e retornou ao crescimento, mostrou pesquisa.

O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) Composto do IHS Markit, considerado bom guia da saúde econômica, subiu para a máxima de nove meses de 53,7 ante 53,2 em março, contra expectativa de 52,8 em pesquisa da Reuters. Leitura acima de 50 indica expansão.

“Em um mês durante o qual as medidas de contenção foram apertadas diante de mais ondas de infecções, a economia da zona do euro mostrou força encorajadora”, disse o economista-chefe do IHS Markit, Chris Williamson.

O PMI do setor de serviços subiu a 50,3 de 49,6 no mês passado, superando a expectativa de queda para 49,1.

Já as fábricas tiveram seu mês mais ativo desde que a pesquisa começou em meados de 1997. O PMI da indústria subiu a 63,3 de 62,5 em março e expectativa de 62,0.

O subíndice de produção chegou à máxima da pesquisa de 63,4, ante 63,3.

“Gastos reprimidos, acúmulo de estoques, investimentos em novo maquinário e otimismo crescente sobre o cenário ajudaram a alimentar o recorde na produção e novas encomendas”, disse Williamson.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).