Por Mark Weinraub

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros do trigo negociados em Chicago recuaram 2,8% nesta sexta-feira, engatando o segundo dia consecutivo de perdas, pressionados por realizações de lucros em momento em que o tempo mais quente nos Estados Unidos reduz a ameaça de danos aos cultivos em fase de dormência, disseram operadores.

Os futuros de milho e soja também cederam, mas terminaram o dia bem acima das mínimas da sessão, após encontrarem suporte técnico. Operadores afirmaram que uma falta de atividades de exportação nesta semana, mesmo com compradores chineses de volta ao mercado após as comemorações do Ano Novo Lunar, foi vista como um sinal baixista.

“Um mercado altista precisa ser alimentado todos os dias”, disse Mark Gold, fundador da Top Third Ag Marketing. “Nós simplesmente não vemos números de exportação justificando esses preços.”

Todas as três commodities, ainda assim, registraram ganhos na semana. A soja avançou 1,5% no período, e chegou a tocar uma máxima de seis anos e meio na quinta-feira.

Nesta sexta, o contrato maio dos futuros da soja fechou em queda de 3,25 centavos de dólar, a 14,0425 dólares por bushel.

O trigo para maio recuou 15,50 centavos, para 6,6025 dólares/bushel, enquanto o vencimento maio do milho perdeu 2,25 centavos, a 5,4750 dólares/bushel.

Na semana, os futuros do milho subiram 0,7%, enquanto o trigo teve ganho de 1,7%.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).