Por Mayank Bhardwaj

NOVA DELHI (Reuters) – Os produtores da Índia devem colher um recorde de 150,50 milhões de toneladas de grãos de safras semeadas no verão, na temporada até junho de 2022, estimou o governo nesta terça-feira, ante 149,56 milhões de toneladas no ano anterior.

Em 2021/22, a produção de arroz é estimada em um recorde de 107,04 milhões de toneladas, acima das 104,41 milhões de toneladas em 2020/21, disse o Ministério da Agricultura e Bem-Estar dos Agricultores em comunicado.

Uma produção maior de arroz irá ajudar a Índia, maior exportador mundial do grão, a impulsionar os embarques do alimento básico.

A Índia deve ser responsável por até 45% das exportações mundiais de arroz em 2021, já que a expansão da capacidade portuária permite que o maior produtor de arroz do mundo, depois da China, envie volumes recordes para compradores na África e na Ásia.

Os agricultores indianos devem colher 21,24 milhões de toneladas de milho, o mesmo montante do ano anterior.

Já a produção de oleaginosas deve cair para 23,4 milhões de toneladas contra 24 milhões de toneladas.

A produção de soja é estimada em 12,7 milhões de toneladas, ante 12,9 milhões de toneladas no ano de safra de 2020/21.

Nova Delhi, que gasta de 8 a 10 bilhões de dólares por ano na importação de óleos comestíveis, compra óleo de palma da Indonésia e da Malásia e outros óleos, como óleo de soja e de girassol, da Argentina, Brasil, Ucrânia e Rússia.

(Reportagem de Mayank Bhardwaj)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).