As famílias de classe média (com renda domiciliar entre R$ 4.127,41 e R$ 8.254,83) e média-alta (com renda domiciliar entre R$ 8.254,83 e R$ 16.509,66) foram as mais atingidas pela inflação em março, segundo o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).

Isso aconteceu pelo aumento dos preços dos transportes, principalmente dos combustíveis (11,2%).

Apesar do resultado de março ter sido mais forte para as classes média e média alta, no acumulado dos últimos 12 meses, as famílias mais pobres foram mais impactadas pela inflação, acumulando alta de 7,24%.

E para a baixa renda? Para a classe de renda mais baixa, o reajuste nos preços da passagem de ônibus e trens teve um impacto importante na inflação do mês, assim como itens do grupo de habitação.

Os preços do botijão de gás (5%), os artigos de limpeza (1,1%) e a energia elétrica (0,76%) também pesaram mais no bolso destas famílias. A inflação oficial, medida pelo IPCA ( Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), ficou em 0,93% em março.

E os mais ricos? Estes sentiram um alívio inflacionário nos transportes, com a queda de 2% no preço das passagens aéreas e a redução de 3,4% dos aplicativos de transporte.

Veja a inflação por faixa de renda em março e nos últimos 12 meses: 

Faixa de rendaMarço/2021Últimos 12 meses
Muito baixa0,71%7,24%
Baixa 0,85%6,87%
Média-baixa1,02%6,57%
Média1,09%5,91%
Média-alta1,08%5,09%
Alta1%4,67%

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).