(Reuters) – Com a economia ainda longe de suas metas de inflação e emprego, é muito cedo para o Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos) discutir uma mudança no que diz respeito às compras mensais de títulos, afirmou o chair do Fed, Jerome Powell, nesta quinta-feira.

“Agora não é a hora de estarmos falando sobre saída”, dos 120 bilhões de dólares em títulos do governo que o Fed está adquirindo a cada mês, disse Powell em um simpósio online mediado pela Universidade de Princeton.

“Uma lição da crise financeira global é ter cuidado para não sair (de estímulos) muito cedo e, a propósito, tentar não falar sobre sair o tempo todo se estiver enviando esse sinal, porque os mercados estão ouvindo.”

“A economia está longe de nossos objetivos… e estamos fortemente comprometidos… em usar nossas ferramentas de política monetária até que o trabalho esteja bem e verdadeiramente feito”, disse Powell, rejeitando recentes sugestões de alguns de seus colegas de que o Fed poderia considerar reduzir suas compras de títulos ainda neste ano.

Essas sugestões podem ter contribuído, ainda que ligeiramente, para um recente aumento nos yields dos Treasuries.

A discussão do Fed sobre reduzir as compras de títulos após a crise financeira de 2007 a 2009 desencadeou, em um ponto, mudanças rápidas nos yields de títulos em todo o mundo, um “tantrum” que as autoridades do Fed desde então tem evitado ao sinalizarem quaisquer mudanças em relação à aquisição de ativos com bastante antecedência.

No mercado financeiro, “tantrum” é um termo usado em referência a uma violenta reação de investidores a mudanças em condições de liquidez e de estímulos. O episódio mais famoso, que ficou conhecido como “taper tantrum”, é de maio de 2013, quando os yields dos Treasuries dispararam após o Fed sinalizar redução de estímulos.

Powell prometeu que o Fed avisaria com bastante antecedência eventual redução das atuais compras de títulos.

Ele disse que o momento de se aumentar as taxas de juros também “não é em breve”, dada a profundidade dos problemas econômicos relacionados à pandemia, que ainda persistem.

(Por Dan Burns e Howard Schneider)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).