A Arábia Saudita convocou reunião de emergência entre países da Opep, a Rússia e outros produtores para estabilizar o mercado de petróleo. No mês passado, um desentendimento entre os sauditas e os russos sobre o volume de produção da commodity causou um racha no setor, e levou ao aumento do volume de exploração pelas duas partes.

O anúncio da Arábia Saudita nesta quinta-feira e a expectativa de um novo acordo para reduzir a produção fez com que os preços do petróleo a subissem mais de 40%. A percepção é de que o reino e a Rússia podem estar prontos para encerrar sua disputa por participação no mercado, voltando a cooperar.

Por volta das 13h35 (horário de Brasília), o Brent subia cerca de 20%, ajudando a impulsionar os papéis da Petrobras, que subiam 15%.

Mesmo após a disparada nesta quinta-feira, os preços do petróleo seguem mais de 50% abaixo do visto no início de 2020, antes da crise do coronavírus impactar o mercado.

A Arábia Saudita convocou a reunião de emergência da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e outros produtores, grupo conhecido como Opep+, dizendo que deseja um acordo justo para estabilizar o mercado, segundo a agência estatal de notícias SPA.

Mais cedo nesta quinta-feira, o ministro russo de Energia, Alexander Novak, disse à Reuters que o país não tem planos de aumentar sua produção de petróleo.

Trump diz que acordo está a caminho. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse na havia conversado com líderes sauditas e russos e que acreditava que os dois países iriam chegar a um acordo para apoiar os preços.

Trump, disse nesta quinta-feira que conversou com o príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman e que espera que sauditas e Rússia reduzam a produção de petróleo em cerca de 10 milhões de barris, com os dois países demonstrando disposição para chegar a um entendimento.

“Acabei de falar com meu amigo MBS da Arábia Saudita, que conversou com o presidente Putin, da Rússia, e eu espero e acredito que eles vão cortar a produção em aproximadamente 10 milhões de barris, e talvez substancialmente mais do que isso, o que, se acontecer, será ÓTIMO para a indústria de petróleo e gás”, escreveu Trump no Twitter.

(Com Reuters)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).