Depois de ter encolhido no segundo trimestre, a economia brasileira voltou a cair. O PIB (Produto Interno Bruto), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, recuou 0,1% no terceiro trimestre deste ano, segundo dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quinta-feira (2).

Com o resultado, o país entra em recessão técnica, fenômeno que acontece quando o PIB fica negativo em dois trimestres seguidos.

A expectativa em pesquisa da Reuters era de estabilidade no terceiro trimestre sobre os três meses anteriores. Em relação ao terceiro trimestre de 2020, o PIB apresentou expansão de 4,0%, contra expectativa alta de 4,2% nessa base de comparação.

O que explica a queda?

O resultado do terceiro trimestre foi influenciado, principalmente, pela queda de 8% na agropecuária, que caiu pelo encerramento da safra de soja.

A coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis, explica que a colheita da soja, por ser muito mais concentrada nos dois primeiros trimestres, impacta no resultado.

“Como ela é a principal commodity brasileira, a produção agrícola tende a ser menor a partir do segundo semestre. Além disso, a agropecuária vem de uma base de comparação alta, já que foi a atividade que mais cresceu no período de pandemia e, para este ano, as perspectivas não foram tão positivas, em ano de bienalidade negativa para o café e com a ocorrência de fatores climáticos adversos na época do plantio de alguns grãos”, afirma Palis.

Veja o resultado do PIB por categoria:

  • Indústria: 0%;
  • Serviço: 1,1%;
  • Consumo das famílias: 0,9%;
  • Consumo do governo: 0,8%;
  • Agronegócio: -8%;
  • Formação Bruta de Capital Fixo (investimentos): -0,1%.

Já os serviços, que correspondem a 70% do PIB, tiveram resultado positivo, puxado por outras atividades, que reúnem diversos serviços prestados às famílias. “Com o avanço da vacinação contra covid-19 e o consequente aumento da mobilidade e reabertura da economia, as famílias passaram a consumir menos bens e mais serviços.”, afirma Palis.

A indústria, que representa 20% do PIB, ficou estável no trimestre. “O encarecimento dos insumos e outros problemas na cadeia produtiva, além da crise energética, vêm afetando o setor industrial”, diz Palis.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).