O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil caiu 9,7% no segundo trimestre de 2020, quando comparado com os primeiros três meses do ano.  Em relação segundo trimestre de 2019, o PIB recuou 11,4%. Ambas as taxas foram as quedas mais intensas da série histórica, iniciada em 1996, segundo o IBGE.

O resultado foi ligeiramente pior do que o esperado pelo mercado, que previa uma retração de 9,4% na economia brasileira.

Em termos nominais, o PIB do no segundo trimestre de 2020 totalizou R$ 1,653 trilhão.

A taxa de investimento no segundo trimestre de 2020 foi de 15,0% do PIB, ficando abaixo da observada no mesmo período de 2019 (15,3%).

Agropecuária é destaque

A Indústria foi o setor mais afetado pela pandemia, com queda de -12,3%. Serviços tiveram retração de -9,7%. Já a Agropecuária se destacou e registrou variação positiva de 0,4%.

Entre as atividades industriais, destacam-se as quedas nas Indústrias de Transformação (-17,5%), na Construção (-5,7%), na atividade de Eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos (-4,4%) e nas Indústrias Extrativas (-1,1%).

Nos Serviços, os resultados negativos foram em Transporte, armazenagem e correio (-19,3%), Comércio (-13,0%), Administração, defesa, saúde e educação públicas e seguridade social (-7,6%), Informação e comunicação (-3,0%). Por outro lado, houve resultado positivo nas Atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (0,8%) e nas Atividades imobiliárias (0,5%).

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).