Por Laura Sanicola

NOVA YORK (Reuters) – O petróleo fechou em queda nesta terça-feira, caindo de uma máxima de dois meses após notícias de que os Estados Unidos e o Irã fizeram progressos para a retomada de um acordo que restringe o desenvolvimento de armas nucleares do país da Opep, o que impulsionaria as ofertas de petróleo.

Os preços despencaram com a afirmação do embaixador russo nas Nações Unidas, Mikhail Ulyanov, de que progressos significantes haviam sido feitos, porém as quedas pararam quando ele disse no Twitter que negociadores precisavam de mais tempo para finalizar o acordo.

Após queda de mais de 2 dólares o barril, o petróleo Brent fechou com recuo de 0,75 dólar, ou 1,1%, a 68,71 dólares o barril. O petróleo dos Estados Unidos (WTI) fechou em queda de 0,78 dólar, ou 1,2%, a 65,49 dólares.

Se os Estados Unidos suspenderem as sanções ao Irã, o país poderá aumentar os embarques de petróleo, aumentando a oferta global.

“Isso poderia colocar uma quantia significativa de petróleo no mercado, que é o motivo pelo qual estamos cada vez mais em queda agora”, disse Bob Yawger, diretor dos futuros de energia da Mizuho.

Durante a sessão, a referência mundial Brent atingiu 70 dólares o barril pela primeira vez desde março, impulsionado pelas expectativas de recuperação de demanda.

(Reportagem de Alex Lawler e Yuka Obayashi)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).