CIDADE DO VATICANO (Reuters) – O papa Francisco apoiou neste sábado a quebra de patentes das vacinas contra Covid-19, defendendo uma proposta do presidente norte-americano Joe Biden, que foi rechaçada por algumas nações europeias, como a Alemanha.

Em um discurso a um show beneficente para promover o acesso às vacinas, o papa afirmou que o mundo estava infectado pelo “vírus do individualismo”.

“Uma variante desse vírus é o nacionalismo fechado, que impede, por exemplo, a internacionalização das vacinas”, disse, em uma mensagem por vídeo pré-gravada.

“Outra variante é quando colocamos as leis do mercado ou do mercado intelectual ou da propriedade intelectual acima das leis do amor e da saúde da humanidade”, acrescentou, lembrando o grande número de mortes que o coronavírus infligiu ao mundo.

Seus comentários chegam no momento em que é debatido se as empresas farmacêuticas deveriam abrir mão das patentes das vacinas contra Covid-19.

Biden apoiou a medida na quarta-feira, liderando pedidos de Índia, África do Sul e mais de 100 outros países.

No entanto, muitos países europeus, liderados por Alemanha e França, se distanciaram da proposta na sexta-feira, argumentando que a chave para encerrar a pandemia de Covid-19 é fazer e compartilhar vacinas com mais rapidez.

(Por Crispian Balmer)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).