(Reuters) – O órgão de planejamento estatal da China disse nesta quarta-feira que tomará medidas para salvaguardar a oferta de fertilizantes, melhorando a utilização da capacidade e o transporte ferroviário, mantendo o controle sobre as tendências de importação e exportação e fortalecendo o papel das reservas.

Os preços dos fertilizantes e da ureia aumentaram este ano, impulsionados pelos altos preços do carvão e pelas preocupações com a redução da oferta devido à repressão às indústrias de alto consumo de energia, incluindo fertilizantes.

Na bolsa de Zhengzhou, os contratos futuros da ureia subiram mais de 70% este ano, mas nesta quarta operavam em baixa de 8%, para 2.978 yuans (465,92 dólares) por tonelada, em meio a uma queda nos preços do carvão.

A porta-voz, Meng Wei, da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma (NDRC, na sigla em inglês) disse nesta quarta-feira que o planejador estatal garantirá que as empresas recebam suprimentos adequados de carvão, eletricidade, gás natural e enxofre para produzir fertilizantes químicos.

Ela também afirmou que o planejador tomaria medidas para garantir “a liberação de reservas relevantes de fertilizantes químicos”.

Por fim, ela afirmou que as autoridades vão monitorar de perto os mercados de fertilizantes nacionais e estrangeiros e as tendências de importação e exportação.

Neste ano, a China lançou investigações sobre o mercado de ureia, anunciou que as principais empresas de fertilizantes suspenderiam temporariamente as exportações e disse que liberaria reservas de fertilizantes de potassa para manter a oferta e os preços dos fertilizantes estáveis.

(Reportagem das redações de Pequim e Xangai)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).