O PIX é o assunto do momento e não é à toa, o novo sistema de pagamento promete enviar e receber dinheiro de forma quase instantânea 24 horas por dia, 7 dias por semana, todos os dias. Segundo o Banco Central, a expectativa é de que as transações sejam liquidadas em menos de 10 segundos.

E o melhor de tudo: custo zero para as transações entre pessoas físicas e uma taxa reduzida para os outros casos – operações entre consumidores e empresas ou entre pessoas jurídicas.

Os brasileiros bancarizados terão acesso a nova ferramenta a partir de 16 de novembro e o 6 Minutos separou as principais dúvidas sobre o PIX, veja a seguir.

Para que serve o PIX?

O PIX será utilizado para fazer transferências de dinheiro, pagamentos em lojas físicas e compras pela internet. A plataforma também será utilizada para pagamentos de cobranças que hoje são feitas por boletos.

Quem poderá utilizar o PIX?

Qualquer cidadão que tenha conta nas instituições financeiras com PIX poderá utilizar o novo sistema de pagamentos instantâneo do Banco Central.

PIX é diferente de TED e DOC?

Sim. Como o nome já diz, a principal diferença será o tempo que o dinheiro leva para sair da conta do pagador e chegar na do recebedor. Será instantâneo, questão de segundos. Hoje, um DOC pode levar até dois dias úteis para cair na conta do recebedor se for feito fora do horário comercial.

Outra diferença é que transações com PIX não terão limitação de dia e horário para serem realizadas: estarão disponíveis 24 horas por dia, sete dias por semana, inclusive fins de semana e feriados. Transferências por TED e DOC não caem nos fins de semana e feriados.

Qual a vantagem do PIX em relação aos outros meios de pagamentos?

O grande atrativo do PIX é a vantagem financeira, pois é isso que faz as pessoas trocarem um meio de pagamento por outro. Não haverá tarifa para pagadores. E a taxa será mínima para recebedores.

Hoje, os bancos cobram cerca de R$ 10 para realizar transferências por TED e DOC, dependendo do pacote de tarifa do cliente.

Como faço para usar o PIX?

A primeira coisa a fazer para poder utilizar o PIX é cadastrar as chaves de identificação na instituição financeira que pretende fazer as transações. Depois da chave cadastrada e do lançamento oficial previsto para 16 de novembro, a única coisa que a pessoa precisará ter é o app do banco instalado em seu celular.

Se você quer transferir R$ 50 para alguém, por exemplo, basta entrar no aplicativo do banco, clicar em transferir via PIX e mandar o dinheiro pelo número do telefone. Para pagamento em lojas físicas ou e-commerce, é só o cliente escolher o PIX e ler o QR Code do estabelecimento.

Mas, afinal, o que é a chave de segurança do PIX?

A “chave” é o nome dado para os dados dos clientes, como número de CPF, celular e e-mail. As chaves são as formas de identificação bancária e cada pessoa pode registrar até 5 chaves em instituições financeiras que seja cliente.

Como faço para cadastrar a chave PIX no meu banco?

O cadastramento de Chaves PIX ainda não está disponível. Esse cadastramento só começa a ser feito em 5 de outubro, mas já tem banco realizando o pré-cadastro.

A única exigência do BC para o pré-cadastro é  que a instituição financeira explique que o PIX é um novo meio de pagamento, que o objetivo das chaves é facilitar o recebimento e que o cadastro efetivo das chaves só poderá ser feito a partir de outubro.

Como funciona os pagamentos com PIX?

Para as pessoas físicas, os pagamentos poderão ser feitos pelo app do seu banco ou carteira digital. Depois de cadastrada a chave junto a instituição financeira, basta abrir o app do banco e ler o QR Code do PIX.

É possível agendar pagamento pelo PIX?

Sim. O Banco Central informou que o PIX contará com a ferramenta “PIX Agendado”. Por meio dela, será possível agendar nos bancos um pagamento instantâneo em data futura.

Quais instituições oferecerão o PIX?

Bancos e fintchs com mais de 500 mil contas são obrigados a introduzir o PIX em seus sistemas de pagamentos e transferências, conforme resolução do BC. Outras instituições também poderão oferecer o serviço, para isso precisam demonstrar interesse perante o Banco Central e iniciar o processo de homologação.

Leia também:

Antes do DOC e TED, primeira vítima do PIX deve ser o dinheiro

Pix pode acabar com pagamento com boleto no e-commerce

Fornecedora do BC diz que PIX poderá concorrer também com cartões de crédito

PIX permitirá serviço de saque por meio da rede varejista

Bancos dão a largada na corrida pelo cadastro das chaves do PIX – saiba o que isso tem a ver com você

 

 

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.