O grupo de cosméticos Natura&Co anunciou no final da quarta-feira uma oferta pública subsequente de cerca de R$ 6 bilhões em ações e estimou que sua receita cresceu no terceiro trimestre sobre o mesmo período do ano passado, apoiada pela aquisição da norte-americana Avon.

A companhia vai fazer distribuição primária de 121,4 milhões de ações em oferta no Brasil e no exterior. Os recursos serão usados para impulsionar o crescimento da empresa ao longo dos próximos três anos e otimizar a estrutura de capital, acelerando a desalavancagem e reduzindo o endividamento.

A oferta deve ser precificada em 8 de outubro. As ações da Natura encerraram a quarta-feira cotadas a R$ 51,13.

Segundo a companhia, a aceleração no crescimento vai ocorrer com integração e a recuperação dos negócios da Avon por meio de foco em “novo modelo comercial, inovação e rejuvenescimento da marca”. A Natura ainda pretende promover uma “digitalização dos negócios” por meio de expansão do que chama de “social selling” e aproveitar “oportunidades de expansão geográfica alavancando a companhia em locais onde já está presente”.

Por conta do follow-on, a empresa atualizou suas projeções e afirmou que estima que sua receita líquida no terceiro trimestre cresceu 25% a 30% na comparação com um ano antes, apoiada na aquisição da Avon e outros efeitos. Com o câmbio fixo, a companhia avalia que o crescimento do faturamento no período foi da ordem de % a 10%.

O grupo deve divulgar seus resultados do terceiro trimestre em 12 de novembro.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.