Por Ricardo Brito

(Reuters) – O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse nesta quarta-feira durante evento voltado a investidores que não vê condições para um golpe de Estado no Brasil e fez a avaliação de que sociedade brasileira está madura para evitar que aconteçam desvios institucionais.

Em evento da XP Investimentos, Barroso, que também é presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), voltou a defender o sistema eletrônico de votação, frequentemente atacado pelo presidente Jair Bolsonaro, e reconheceu que algumas decisões do Supremo –como a que determinou a abertura da CPI da Covid no Senado e a que garantiu autonomia a Estados e municípios no combate à pandemia de Covid-19– geraram estresse.

Barroso fez ainda um alerta aos investidores para que não “namorem” a alternativa de um regime totalitário, argumentando que ditaduras são contra a livre iniciativa e o empreendedorismo.

O presidente do TSE, alvo de ataques constantes de Bolsonaro fez também a avaliação de que, apesar das turbulências, que ele disse terem sido criadas artificialmente, as instituições estão funcionando normalmente. Bolsonaro alega de forma incorreta que o sistema eleitoral não é auditável e acusa sem provas que houve fraudes em eleições passadas e haverá no pleito do ano que vem para dar a vitória ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).