Vales-presente oferecem a varejistas dos Estados Unidos um fluxo de dinheiro muito necessário ao fecharem um ano difícil.

Os americanos devem comprar mais vales-presente do que nunca: a estimativa é que os gastos com o item aumentem 19% nesta temporada de Natal em relação ao ano passado, de acordo com o serviço de pagamentos Blackhawk Network.

Mais da metade dos consumidores americanos dizem que comprarão mais vales nesta temporada do que nos anos anteriores. O plano é comprar 10 vales em média, o dobro do ano passado. E, com bilhões de dólares em vales-presente que não são resgatados anualmente, esse boom das vendas poderia se traduzir em dinheiro essencialmente grátis para varejistas no meio do trimestre mais importante do ano.

Consumidores tem redirecionado o dinheiro antes gasto com viagens e experiências durante a pandemia de coronavírus. Além disso, um vale-presente viaja facilmente pelo correio durante a temporada de festas de distanciamento social. O aumento das vendas é um bom presságio para varejistas, especialmente os “não essenciais” como Macy’s e Nordstrom, que ainda tentam recuperar a receita perdida enquanto as portas estavam fechadas no início deste ano.

“Este ano deve ser muito forte para os vales-presente”, disse Steve Sadove, consultor sênior da Mastercard e ex-CEO da Saks. Ele disse que as pessoas que podem estão dispostas a gastar. “O que vemos é a resiliência dos consumidores.”

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).