Por Lisandra Paraguassu

BRASÍLIA (Reuters) – O Ministério da Saúde determinou o cancelamento definitivo do contrato com a Precisa Medicamentos para a compra de 20 milhões de doses da vacina Covaxin, do laboratório indiano Bharat Biotech, depois que auditoria da Controladoria-Geral da União demonstrou irregularidades em documentos apresentados pela Precisa na negociação com o ministério.

De acordo com o ministro Wagner Rosário, foram detectadas suspeita de fraudes em dois documentos. Um deles, uma suposta procuração da Bharat Biotech autorizando a Precisa a completar a negociação e venda do imunizante ao governo federal, exigido pelo ministério.

Segundo o ministro, a Bharat Biotech nega ter emitido o documento e há indícios de que a procuração foi montada digitalmente.

A CGU nega, ainda, irregularidades nas invoices que previam pagamento adiantado de 4 milhões de doses. De acordo com Rosário, os erros foram corrigidos e as invoices sequer foram encaminhadas para o departamento de pagamentos do Ministério da Saúde.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).