Por Julie Ingwersen

CHICAGO (Reuters) – Os futuros de milho, soja e trigo cotados nos EUA subiram acentuadamente na sexta-feira, se recuperando das quedas expressivas do dia anterior com compras antes do fim de semana e incerteza sobre o clima no cinturão da safra do Meio-Oeste norte-americano, disseram analistas.

Novas intenções de exportação deram suporte, já que a quebra desta semana nos futuros pareceu estimular a demanda. Importadores estatais chineses compraram pelo menos oito carregamentos de soja dos EUA nesta sexta-feira, as maiores aquisições da oleaginosa do país em quatro meses e meio, disseram dois traders norte-americanos familiarizados com os negócios.

O milho para julho negociado em Chicago fechou em alta de 22,25 centavos, para 6,5525 dólares por bushel. Já a soja para julho fechou em alta de 66,25 centavos de dólar para 13,96 dólares o bushel e o trigo para julho avançou 23,75 centavos de dólar, para fechar em 6,6275 o bushel.

O clima continua em destaque, dados os riscos contínuos de estresse hídrico para as safras do Meio-Oeste, em um momento em que os mercados estão buscando grandes safras de milho e soja nos EUA para aliviar as tensões de oferta.

Perspectivas de um clima mais ameno e úmido pesaram no mercado de grãos nessa semana, aumentando as vendas de commodities, com o dólar firmando e as autoridades do Fed projetando taxas de juros para 2023.

Porém alguns sentiram que as vendas generalizadas da quinta-feira foram exagerada.

“A previsão do clima de ontem não justifica a liquidação desse tamanho ou escopo. Nós estamos inserindo prêmio de volta ao mercado hoje”, disse Brian Hoops, presidente da Midwest Market Solutions.

(Por Gus Trompiz, Naveen Thukral e Colin Packham)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).