CIDADE DO MÉXICO (Reuters) – O México enfrenta um “novo desafio” já que diferentes partes de sua economia irão se recuperar sob ritmos variados, com setores dependentes de exportação devendo liderar o percurso, disse o presidente do banco central do país, Alejandro Díaz de León, nesta segunda-feira.

A economia mexicana contraiu 8,5% em 2020, na recessão mais profunda em quase 90 anos, devido à devastação da pandemia da Covid-19. No entanto, a economia recuperou-se mais rápido do que inicialmente projetado no último trimestre de 2020.

“O novo desafio é que a atividade econômica e a recuperação serão heterogêneas, movidas por dois motores. O motor das vacinas… e o motor dos gastos fiscais que diferentes economias implementaram”, disse Díaz de León.

O robusto pacote de alívio pandêmico de 1,9 trilhão de dólares nos Estados Unidos, principal parceiro comercial do México, provavelmente ajudará a impulsionar a recuperação da economia mexicana.

No ano passado, o componente mais importante para a recuperação da atividade econômica no México foi a demanda externa e o setor exportador, bem acima do consumo e do investimento, disse Díaz de León.

“E projetamos que este importante programa de gastos e estímulos nos Estados Unidos ajudará a demanda externa a continuar a desempenhar um papel importante” na recuperação econômica do México, acrescentou.

(Por Anthony Esposito)

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).