Pelo segundo ano, o Dia das Mães, que é considerada a segunda data mais importante de vendas para o comércio, vai ser celebrado no meio da pandemia de coronavírus. Diferentemente do ano passado, lojas e shoppings centers estão funcionando, mesmo que com alguma restrição de horário ou de capacidade.

Mas isso não significa que os presentes serão comprados presencialmente. Pesquisa realizada pela The Insiders, mostra que 88% das pessoas que vão presentear compraram seus presentes em canais digitais.

Outra pesquisa, essa da Mindminers, indica que 42% das pessoas entregarão o presente pelo serviço das lojas online. Somente 19% disseram preferir comprar na loja física e entregar o presente pessoalmente.

Os presentes já foram comprados? O brasileiro parece que deixa tudo para a última hora, até mesmo o presente da mãe. De acordo com a pesquisa da Mindminers, 59% pretendem presentear na data, mas ainda não comprar o presente.

E quem não vai presentear? O principal motivo para não presentear é financeiro. Na pesquisa Mindminers, 31% disseram que não vão presentear porque estão desempregados este ano.

Quem influencia na decisão de compra do presente? Na pesquisa da The Insiders, 88% dos entrevistados afirmaram ser diretamente influenciados pela opinião de amigos e parentes na hora de escolher o presente. Outros 69% irão se informar ou pesquisar sobre os presentes de Dia das Mães por meio de blogs, sites e redes sociais. Apenas 16% disseram seguir a opinião dos influenciadores digitais.

Como conquistar o consumidor? Joel Amorim, diretor da The Insiders na América Latina, defende que o varejista recorra a estratégias de vantagens ao consumidor, como cupons de descontos, cashback ou benefícios na hora da compra.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).