Economistas do mercado financeiro revisaram mais uma vez para cima a projeção do índice que mede a inflação oficial do Brasil em 2021 e 2022 e para baixo a expectativa para o crescimento da economia, segundo relatório Focus, divulgado pelo Banco Central nesta terça-feira (16).

Já expectativa para a taxa básica de juros foi mantida para os dois anos.

De acordo com o Focus, a Selic ficará em 9,25% neste ano e será de 11% no próximo ano. A taxa básica de juros está 7,75%, e a próxima reunião do Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central está prevista para os dias 7 e 8 de dezembro.

Um aumento exagerado na Selic pode até conter a inflação, mas pode afetar ainda mais o crescimento da economia, segundo economistas. O mercado revisou a estimativa de crescimento para 2021 de 4,93% para 4,88%. Já para 2022, a previsão caiu de 1% para 0,93%, segundo o Focus.

A projeção para o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) saltou de 9,33% para 9,77% para este ano e de 4,63% para 4,79% em 2022.

Prévia do PIB

Também nesta terça (16), o Banco Central divulgou o IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central) de setembro de 2021, considerado a “prévia do PIB” (Produto Interno Bruto). O índice ficou negativo em 0,27% em comparação ao mês anterior, segundo os dados.

A retração pelo segundo mês seguido indica a possibilidade de recessão técnica. No trimestre que terminou em setembro, o IBC-Br foi de -0,14% em relação aos três meses anteriores.

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulga os dados consolidados do PIB no dia 2 de dezembro, depois de informar recuo de 0,1% no segundo trimestre de 2021. Se confirmada a segunda contração trimestral, isso caracterizaria recessão técnica.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).