HAMBURGO (Reuters) – Os preços dos suínos alemães permaneceram inalterados esta semana, apesar da descoberta de casos da doença peste suína africana (PSA) em animais de fazenda, disse a associação de criadores de animais da Alemanha VEZG nesta quarta-feira.

Os preços dos suínos alemães foram os mesmos da semana passada, cotados em 1,42 euro o quilo para abate, afirmou a VEZG.

Um terceiro caso de PSA foi confirmado no fim de semana em porcos de criação no Estado de Brandenburg, após a primeira descoberta em fazendas na semana passada.

Casos anteriores foram encontrados apenas em animais selvagens, com 1.267 casos de peste suína até agora em javalis na área de Brandemburgo. A região faz fronteira com a Polônia, onde a doença é generalizada.

“Acho que os preços inalterados dos suínos mostram que a descoberta da PSA nas fazendas alemãs não foi realmente um evento gravemente importante para o mercado”, disse Tim Koch, analista de carnes da consultoria de mercado alemã AMI.

“As fazendas ficavam na região leste de Brandemburgo, onde já foi encontrado em grande escala em animais selvagens, então não houve nenhuma mudança significativa nas zonas de restrição usadas para combater a doença.”

A doença foi encontrada em pequenas fazendas e Brandenburg não é uma grande área de suinocultura na Alemanha, acrescentou.

“As exportações de carne suína da Alemanha, especialmente a China e os outros principais compradores asiáticos, foram interrompidas de qualquer maneira, com os embarques continuando dentro da UE”, disse ele.

“Portanto, o quadro do comércio internacional não mudou, mas as negociações com a China sobre o fim das proibições de importação podem ser mais longas e mais difíceis.”

Muitos países proibiram as importações de carne suína alemã em setembro de 2020, depois que a PSA foi encontrada em javalis.

(Reportagem de Michael Hogan)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).