Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) – A mineradora Vale teve interditado seu terminal da Ilha da Guaíba (TIG), em Mangaratiba (RJ), informou a prefeitura local nesta quinta-feira, enquanto a companhia disse que adotará todas medidas para garantir o restabelecimento das atividades na unidade.

O terminal com capacidade de exportação de 40 milhões de toneladas de minério de ferro por ano também foi multado em mais de 1 milhão de reais pelas autoridades municipais, sob alegação de descumprimento da legislação ambiental, o que a Vale nega.

Em comunicado à imprensa, a prefeitura de Mangaratiba afirmou que as medidas foram tomadas pela Secretaria de Meio Ambiente porque o terminal estaria operando há anos sem licença ambiental.

“A última licença obtida pela Vale foi a Licença de Operação INEA LO nº IN001318, emitida em 01 de fevereiro de 2010 e com validade até 28 de dezembro de 2011”, alegaram as autoridades.

A interdição é provisória e pode ser revertida caso a Vale apresente documentos do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) que atestem a validade da licença ambiental e o cumprimento de condicionantes nela previstas, acrescentou a prefeitura.

Procurada, a Vale defendeu que “as licenças para operação do Terminal da Ilha da Guaíba estão válidas”.

“A empresa vai adotar todas as medidas cabíveis para garantir o pronto restabelecimento das atividades”, afirmou a mineradora, em nota enviada por meio da assessoria de imprensa.

O prefeito de Mangaratiba, Alan Costa, disse em nota que a Vale tem utilizado uma carta do órgão ambiental estadual emitida em 2019 para operar.

A prefeitura acrescentou em nota que o terminal já sofreu diversas interdições e multas desde 2019, embora parte das punições tenha sido suspensa em ação judicial.

(Com reportagem adicional de Luciano Costa)

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).