Por Gus Trompiz

PARIS (Reuters) – A Louis Dreyfus Company (LDC) divulgou nesta terça-feira um forte aumento no lucro do primeiro semestre, em outro sinal de que a elevação dos preços das commodities e a forte demanda por produtos básicos estão aumentando os lucros dos comerciantes internacionais.

Os resultados melhores aliviaram ainda mais a pressão financeira sobre a LDC depois que ela completou neste mês a venda de uma participação para a holding ADQ de Abu Dhabi, anunciando o primeiro acionista não familiar na história de 170 anos do grupo de commodities agrícolas.

O lucro líquido do grupo alcançou 336 milhões de dólares, aumento de 167% em relação aos 126 milhões de dólares do ano anterior, em parte devido a uma redução nos impostos vinculados aos efeitos cambiais, disse a LDC em um comunicado.

O lucro antes de impostos, juros, amortização e depreciação (Ebitda) cresceu 23%, para 778 milhões de dólares.

Um aumento nos preços das commodities e a forte demanda por grãos da China apoiaram os ganhos dos comerciantes agrícolas durante a pandemia do coronavírus e ajudaram na recuperação dos lucros da LDC no último ano.

Uma recuperação econômica, conforme os países abrandam as restrições para conter a Covid-19, também renovou a demanda por têxteis e biocombustíveis.

A LDC disse que uma melhora em algodão e biocombustível contribuiu para um aumento de 4,2% em seus volumes embarcados no primeiro semestre.

Entre seus outros produtos, grãos e oleaginosas continuaram a apresentar forte desempenho, enquanto o arroz manteve margens favoráveis, apesar das taxas de frete mais altas e restrições de logística, afirmou a LDC.

Citando “um ambiente persistentemente volátil”, o presidente-executivo Michael Gelchie disse que o conhecimento de mercado da LDC, a gestão de risco e as estratégias de hedge levaram a “resultados sólidos no primeiro semestre do ano”.

(Reportagem de Gus Trompiz e Sudip Kar-Gupta)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).