Muitas cidades do país permitiram que os shoppings centers voltassem a funcionar em horário normal, o que significa abrir às 10h e fechar às 22h. Mas não são todos os lojistas que estão satisfeitos com o retorno da jornada existente antes da pandemia.

Por que essa insatisfação? É que para abrir das 10h às 22h, os lojistas precisam de duas equipes de funcionários. Como as lojas ainda não retomaram o nível de venda pré-pandemia, elas alegam que não compensa abrir às 10h.

Qual a sugestão? A Ablos (Associação Brasileira de Lojistas Satélites) pede à Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Center) que as lojas funcionem 10 horas por dia:

  • Segunda a sábado: das 11h às 20h
  • Domingo: das 14h às 20h

A Ablos argumenta que as vendas realizadas das 10h às 11h representam de 3% a 4% das lojas, o que não justifica abrir mais um turno de trabalho.

E o aluguel? Na carta à Abrasce, a Ablos diz que nesse momento não há reivindicação de redução de valor, mas nada impede que haja diminuições parciais.

O que a Abrasce disse? A entidade defende que os lojistas de suas redes voltem a funcionar sem restrições de horários nas localidades em que isso for permitido pela legislação. “Acreditamos que estamos num processo de recuperação econômica e que o funcionamento de acordo com o estipulado pela legislação a torna mais sustentável e colabora para a manutenção dos empregos”, diz.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).