A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, afirmou nesta quarta-feira (13) que a retomada de lockdowns no continente para conter o avanço da covid-19 devem durar até o fim do primeiro trimestre. Segundo ela, o cenário já estava previsto e, por isso, não altera as projeções econômicas da autoridade monetária. “Nossas projeções ainda são muito plausíveis”, disse em evento virtual promovido pela agência Reuters, quando questionada sobre a retomada de medidas restritivas rígidas em países como a Alemanha.

Lagarde defendeu que 2021 começa em uma perspectiva melhor em relação ao ano passado, diante do processo de vacinação contra o novo coronavírus no bloco. A União Europeia já faz uso dos profiláticos da Pfizer/BioNTech e da Moderna e deve autorizar, até o fim do mês, o uso emergencial das doses da AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford.

“Algumas incertezas de 2020 já foram resolvidas, como o Brexit e as eleições nos Estados Unidos”, apontou a presidente do BCE. Para ela, mais do que a certificação do presidente americano eleito, Joe Biden, a definição do controle do Congresso – conquistada pelos democratas – foi um ponto fundamental para a definição das possibilidades econômicas do mundo nos próximos quatro anos.

Ainda assim, Lagarde reiterou que é preciso cautela neste momento de pandemia persistente e que muita incerteza continua no radar do BCE. “Temos grande preocupação com uma eventual ineficiência do programa de vacinação contra a covid-19”, alertou, durante o evento.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).