O presidente-executivo do Itaú Unibanco, Candido Bracher, disse a jornalistas nesta terça-feira que vê a taxa de inadimplência de 90 dias no Brasil atingindo no próximo ano níveis mais elevados do que os de crises anteriores.

Para lidar com o impacto da crise do coronavírus, o banco está buscando uma redução nominal nos custos operacionais este ano e no próximo, disse o diretor financeiro Milton Maluhy.

Na semana passada, o presidente do Bradesco, Octavio de Lazari, fez a mesma previsão. Isso vai acontecer, segundo ele, em função das prorrogações de vencimentos e renegociações feitas pelo banco nos primeiros meses da pandemia.

O presidente da Intrum  (empresa recuperadora de crédito) no Brasil, Ulisses Rodrigues, disse que ela vai explodir. “A inadimplência vai explodir em 2021 e o mercado vai precisar de liquidez.”

(Com Reuters)

 

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.