O IRB Brasil Re teve nova rodada de prejuízo no quarto trimestre, uma vez que novos ajustes estratégicos levou o atribulado grupo ressegurador a perdas extraordinárias, enquanto o volume de geração de prêmios também empacou.

A empresa anunciou na noite de quinta-feira (18) prejuízo líquido de R$ 620,2 milhões para outubro a dezembro, ante lucro reapresentado de R$ 654,4 milhões um ano antes.

No acumulado de 2020, ano em que foi atingida por denúncias de fraudes e foi obrigada a fazer um ajuste bilionário para voltar a obedecer enquadramento regulatório sobre índices de liquidez e cobertura de provisões técnicas, o IRB acumulou um prejuízo de R$ 1,5 bilhão.

Segundo o IRB, o maior impacto negativo no quarto trimestre foi uma perda de R$ 335,9 milhões referente a um crédito tributário por prejuízos acumulados nas operações em Londres. A empresa esperava recuperar isso ao longo de alguns anos.

“No entanto, em razão das presentes condições de mercado, a administração do IRB concluiu ser pouco provável a recuperação de tal crédito tributário”, afirmou a companhia no balanço.

Além disso, o IRB teve um salto nos níveis de sinistros, os valores que tem que pagar de indenização a segurados. O sinistro retido total foi de R$ 837,9 milhões, alta de 17,9%.

Por fim, os prêmios emitidos no Brasil, de R$ 1,02 bilhão, foram 13,6% menores do que um ano antes, com forte recuo nos segmentos de linhas especiais e de aviação. Os prêmios no exterior cresceram 15,5%, a R$ 1,06 bilhão, com queda também em aviação e riscos especiais, além de vida, com a descontinuação de alguns negócios.

O IRB avisou ainda que no mês passado concluiu acordo judicial com a Eletronorte para reaver R$ 358 milhões como ressarcimento de sinistro envolvendo interrupção de energia elétrica fornecida pela empresa de energia.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).