RIO DE JANEIRO (Reuters) – O PIB do setor agropecuário do Brasil em 2021 deve crescer 1,2% segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que revisou para baixo a estimativa anterior de 1,7%, refletindo reduções na produção de milho e cenário menos favorável para o leite.

“O valor adicionado da produção vegetal em 2021 também foi revisto para baixo: de 1,7% para 1,2%, devido à revisão para a estimativa de produção do milho, que deve apresentar queda de 15,5%”, informou o Ipea nesta quinta feira.

Cana-de-açúcar (-3,7%) e café (-21,1%), afetados por questões climáticas, também limitaram a projeção de 2021.

Apesar de menor, o resultado positivo de 2021 será sustentado pelas significativas altas nas produções de soja (+10,1%), arroz (+4,3%) e trigo (+32,9%).

A produção animal também foi revista de 1,8% para 1,2% este ano, mesmo com avanço na produção de aves (+6,8%), suínos (+8,7%) e ovos (+1,4%).

Dois produtos com maior participação no valor adicionado têm perspectiva negativas para 2021: bovinos (-0,9%) e leite (-0,4%).

Para 2022, a estimativa foi ligeiramente revisada de 3,3% para 3,4% no valor adicionado do setor agropecuário, com crescimento de 2,2% na produção animal e 3,9% na produção vegetal.

“Há perspectiva positiva por conta de expectativas de crescimento nas culturas de soja e milho; de recuperação do crescimento da produção de bovinos (após dois anos consecutivos de queda) e de nova alta estimada para a produção de suínos”, destacou o Ipea.

O instituto aponta que para 2022 ainda há incertezas sobre o ciclo climático e seus efeitos na safra, sua intensidade e sobre a produção vegetal. Por outro lado, o cenário é de normalização da oferta de bovinos em 2022.

(Por Rodrigo Viga Gaier)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).