Christian Angermayer passou anos convencendo investidores céticos da promessa de substâncias psicodélicas para tratar doenças mentais. Seus esforços foram recompensados nesta semana, com US$ 316 milhões.

É o valor de sua participação de cerca de 22% na Compass Pathway, depois que as ações da empresa mais do que dobraram de preço nos dias seguintes à oferta pública inicial em 18 de setembro.

Angermayer, de 42 anos, foi o primeiro investidor da Compass, uma startup do Reino Unido que buscava a aprovação da FDA, que regula fármacos e alimentos nos EUA, para usar sua formulação de psilocibina, o ingrediente ativo dos chamados cogumelos mágicos, para depressão resistente a tratamento.

Quando o empresário alemão colocou dinheiro na empresa em 2017, a startup valia US$ 16 milhões.

Na sexta-feira, as ações da Compass eram negociadas a US$ 40,55 às 9h33 no horário local de Nova York, avaliando a empresa em cerca de US$ 1,4 bilhão. Angermayer comemorou o IPO postando uma foto de sua primeira tatuagem – a estrutura molecular da psilocibina.

“Mesmo antes da Covid-19, a epidemia de saúde mental avançava com força”, disse Angermayer em entrevista em junho. “Pense nisto: 350 milhões de pessoas vivem com depressão, 150 milhões dos quais são resistentes a tratamento; outros 40 milhões vivem com ansiedade, da qual podemos apenas tratar os sintomas; e 240 milhões dependem de substâncias que vão do álcool aos opioides.”

Angermayer começou no setor de biotecnologia em 2000, quando deixou a faculdade para ajudar a fundar uma empresa chamada Ribopharma, que se uniu à Alnylam Pharmaceuticals três anos depois. Ele investe em outras empresas de biotecnologia, robótica, fintech, blockchain e tecnologia espacial por meio de seu family office, o Apeiron Investment Group, que usa US$ 500 milhões de seus fundos pessoais e administra US$ 300 milhões de terceiros.

O investidor apresentou os fundadores do Compass, George Goldsmith e Ekaterina Malievskaia, a Lars Wilde, que agora atua como presidente da empresa. Angermayer controla sua participação na Compass por meio da ATAI Life Sciences, uma empresa de medicina psicodélica fundada por ele em 2018.

A ATAI busca uma variedade de tratamentos para transtornos de saúde mental, incluindo depressão, transtorno de estresse pós-traumático, dependência e ansiedade usando drogas como psilocibina, R-cetamina e ibogaína. A empresa está prestes a fechar uma rodada pré-IPO de 50 milhões de euros (US$ 58,1 milhões) e estuda uma oferta pública inicial nos Estados Unidos no primeiro semestre de 2021, de acordo com fontes a par dos planos.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.