A inflação do transporte por aplicativo subiu 19,85% em outubro, segundo dados do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), divulgados hoje pelo IBGE. Essa alta é cinco vezes maior que a inflação do etanol, que avançou 3,54%. Em outubro, a gasolina subiu 3,10%.

Os dados mostram que esse descolamento aconteceu, principalmente, em outubro. Porque no acumulado do ano, a inflação do transporte por aplicativo registra uma alta de 12,10%, muito menor que o aumento de 51,25% do etanol e de 38,29% da gasolina.

Em agosto, a inflação do transporte público subiu 3,06%, enquanto o etanol encareceu 4,50%. Em setembro, o transporte por aplicativo ficou 9,18% mais caro, e o etanol subiu 3,18%.

Essa disparada no custo do transporte por aplicativo acompanha medidas adotadas pelas empresas para melhorar os ganhos dos motoristas autônomos. Em setembro, por exemplo, a Uber e a 99 anunciaram reajuste médios nos ganhos dos motoristas de 15%.

Essas medidas foram anunciadas para acabar com a onda de cancelamentos de corridas pedidas pelos passageiros, já que os motoristas passaram a escolher com mais frequência os trajetos que iriam aceitar.

Neste mês, a Uber anunciou que começou a testar a modalidade ‘prioridade’, que é uma espécie de fura-fila para passageiros dispostos a pagar mais para passar na frente dos outros para pegar um carro.

 

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).