Hambúrgueres mais caros estão chegando às lojas.

A alta nos preços do milho está deixando o gado fora dos confinamentos, onde engorda por meses antes de ir para o abate. Isso significa menos animais no mercado nos próximos meses – condições que podem resultar em carne cara nos supermercados.

“Os preços mais altos para os próximos dois a quatro anos estão praticamente gravados na pedra”, disse Rich Nelson, estrategista-chefe da Allendale.

Os preços da carne bovina já subiram no ano passado, depois que alguns frigoríficos fecharam devido ao surto de Covid-19 entre os trabalhadores.

Por causa dos fechamentos, os pecuaristas não tinham para onde enviar os animais, então os mantiveram fora da linha de comercialização. Agora, os altos preços da ração estão corroendo os lucros já apertados, o que leva os fazendeiros a manter ainda mais animais nas pastagens, em vez de prepará-los para o abate.

Não há milho suficiente de grandes fornecedores como a Ucrânia e o Brasil, e a China está ansiosa para importar o grão para alimentar um grande número de porcos que se recuperaram mais rápido do que o previsto de um vírus mortal. Assim, os importadores estão comprando mais dos EUA, deixando menos milho para uso doméstico.

Os futuros do milho em Chicago estão próximos da máxima de sete anos e chegaram a US$ 5,415 o bushel neste mês.

 

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).