ISTAMBUL (Reuters) – A inflação anual da Turquia foi acima de 16% em março pela primeira vez desde a metade de 2019, mostraram dados nesta segunda-feira, aumentando a pressão sobre o novo presidente do banco central, Sahap Kavcioglu, para manter a política monetária apertada após sua nomeação surpresa.

Os preços ao consumidor subiram 16,19% em relação ao ano anterior, acima de 16,11% em uma pesquisa da Reuters e de 15,61% em fevereiro. A inflação permanece bem acima da meta oficial de 5% e tem estado na casa dos dois dígitos na maior parte dos últimos quatro anos.

Na base mensal, o índice de preços ao consumidor subiu 1,08%, disse o Instituto de Estatística da Turquia, em comparação com uma previsão da pesquisa da Reuters de 1,04%.

O ex-presidente do banco central, Naci Agbal, havia aumentado a taxa básica de juros de 10,25% para 19%. Mas ele foi demitido em 20 de março –depois de apenas quatro meses no cargo e dois dias depois de uma última alta nos juros– o que resultou em uma queda de 12% na lira para mínimas quase recordes.

O presidente da Turquia, Tayyip Erdogan, demitiu abruptamente quatro presidentes do BC em menos de dois anos, prejudicando a credibilidade monetária do país e contribuindo para o declínio de longo prazo da moeda que, por sua vez, aumentou a inflação geral por meio das importações.

(Por Oben Mumcuoglu e Ezgi Erkoyun)

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).