O crescimento da indústria na zona do Euro explodiu em outubro, mas a recuperação da atividade severamente deprimida no auge da pandemia de coronavírus foi novamente impulsionada pela Alemanha, conforme pesquisas com gerentes de compras.

Em um ponto também preocupante para os parlamentares e que destaca uma divergência adicional na recuperação, uma leitura rápida da pesquisa geral mostrou que a atividade no dominante setor de serviços do bloco sofreu contração no mês passado, conforme uma segunda onda do vírus se espalhava pela Europa.

Com o ressurgimento do vírus, Alemanha e França — as duas maiores economias do bloco — impuseram novamente duras medidas de lockdown, provavelmente impondo um golpe ainda mais forte neste mês à atividade, com restaurantes, academias e lojas fechados.

Ainda assim, o Índice de Gerentes de Compras de manufaturas composto final da IHS Markit subiu para 54,8 em outubro, de 53,7 em setembro, sua leitura mais alta desde julho de 2018 e à frente da estimativa de 54,4. Qualquer patamar acima de 50 indica crescimento.

“A Alemanha teve um desempenho espetacular nos últimos meses, mas à medida que os lockdowns começam a afetar não apenas a Alemanha, mas seu principal mercado de exportação, isso diminuirá a recuperação”, disse Peter Dixon, do Commerzbank.

“O quarto trimestre para a zona do euro como um todo vai parecer bastante sombrio. Ainda estamos trabalhando em nossos números, mas não será bom”, acrescentou.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).