A indústria da zona do euro encerrou 2020 em alta, com a atividade no setor aumentando no ritmo mais forte desde meados de 2018 e sugerindo que a economia do bloco foi menos afetada pela pandemia do que mais cedo no ano, mostrou a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês).

A Alemanha foi novamente a principal força e, em contraste com o setor de serviços do bloco, que foi particularmente afetado pelas medidas de lockdown para conter o coronavírus, as fábricas permaneceram abertas na região.

O PMI final do IHS Markit subiu a 55,2 em dezembro de 53,8 em novembro, embora a leitura tenha ficado abaixo da preliminar de 55,5.

Qualquer resultado acima de 50 indica crescimento e a leitura de dezembro foi a mais alta desde maio de 2018. O subíndice de produção subiu a 56,3 de 55,3.

“A economia deve ser consequentemente bem menos afetada pela pandemia no quarto trimestre do que a queda sem precedentes no segundo trimestre graças à resiliência da indústria”, disse Chris Williamson, economista-chefe do IHS Markit.

As novas encomendas aumentaram em meio à forte demanda por produtos alemães e em parte refletindo alta temporária do Reino Unido antes do fim do período de transição do Brexit.

 

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).