A produção industrial cresceu 0,8% em outubro em relação a setembro. Foi a terceira alta consecutiva no ano, estimulada pela produção alimentícia e farmacêutica. Os dados foram divulgados pela Pesquisa Industrial Mensal, do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), nesta quarta-feira (4).

Com está a situção no ano? No acumulado de janeiro a outubro de 2019, o crescimento da indústria está negativo (-1,3%) se comparado com igual período do ao passado.

O que estimulou a alta de outubro? O desempenho da produção alimentícia (3,4%) — sobretudo açúcar e suco de laranja–, farmacêutica (11,2%), e maquinário e material elétrico (4,9%). A PIM analisa 26 setores, e 14 tiveram crescimento positivo.

O que caiu? A confecção de artigos do vestuário e acessórios (-3,4%), móveis (-5,6%) e veículos automotores, reboques e carrocerias (-0,6%).

O que os números significam? Na avaliação de André Macedo, gerente da pesquisa, a melhora na trajetória da indústria é influenciada pela demanda doméstica e por uma pequena melhora no mercado de trabalho, acompanhadas pela massa de rendimentos, a concessão de crédito, a liberação do FGTS e a inflação abaixo da meta. “Essa melhora está longe de recuperar as perdas do passado, mas mostra uma mudança no setor industrial, que até metade do ano estava negativo”, avalia.

O economista-chefe da Necton, André Perfeito, lembra que os números são sim positivos, mas ainda falta muito para recuperar o patamar de 2011. “Se continuarmos a crescer na taxa de 0,8%, atingiremos os níveis de 2011 apenas em agosto de 2021”.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.