O aquecimento do mercado imobiliário trouxe de volta os lançamentos de prédios residenciais e, junto com eles, a preocupação de brasileiros que decidem comprar o seu imóvel na planta.

Um dos indicadores mais importantes e acompanhados é o INCC (Índice Nacional de Custo da Construção), que serve de índice de correção tanto do saldo devedor como das parcelas a serem pagas enquanto o prédio está sendo construído, até que ele esteja pronto e ocorra a entrega das chaves.

O INCC-M teve variação de 0,14% em dezembro, praticamente estável em relação ao apurado no mês anterior, quando a taxa foi de 0,15%, segundo divulgou a FGV (Fundação Getulio Vargas) nesta sexta-feira (dia 20).

No ano fechado de 2019, o INCC-M avançou 4,13%.

Como esse índice é calculado? Ele é composto pelo preços de produtos e serviços. A taxa do grupo Materiais, Equipamentos e Serviços teve ligeira queda de 0,01% em dezembro, ante 0,32% em novembro. Já o subíndice referente à Mão de Obra subiu 0,26% em dezembro, após não registrar variação no mês anterior.

A variação correspondente a Materiais e Equipamentos foi de -0,04%, contra 0,31% no mês anterior. Já a inflação de Serviços desacelerou e passou de 0,36% em novembro para 0,11% em dezembro.

O INCC-M é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).