Por Naveen Thukral

CINGAPURA (Reuters) – Os compradores de grãos e oleaginosas da Ásia devem enfrentar atrasos no embarque de pelo menos um mês depois que o furacão Ida danificou importantes terminais de exportação na Costa do Golfo dos Estados Unidos, disseram dois traders e uma fonte na indústria processadora.

A desaceleração na oferta deve alimentar os temores de inflação dos alimentos para consumidores sensíveis a preços na Ásia, onde muitos importadores já reduziram os estoques da safra depois de terem sido forçados a conter as compras em meio à volatilidade dos preços e interrupções no fornecimento relacionadas à Covid neste ano.

Os importadores liderados pela principal compradora de soja, a China, o grande comprador de milho Japão e o segundo importador de trigo, a Indonésia, devem ser afetados, depois que grandes exportadores, como a Cargill, sofreram danos às instalações de carregamento de grãos.

“Temos companhias nos pedindo para passar os contratos de embarque de setembro para outubro, pois levará pelo menos um mês para voltar ao normal”, disse um gerente comercial de uma empresa internacional que opera plantas de processamento de soja e trigo em toda Ásia.

“Também se fala em cancelamentos.”

As fontes não quiseram ser identificadas porque não estavam autorizadas a falar com a mídia.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).