PEQUIM (Reuters) – As importações chinesas de soja do Brasil aumentaram 10,9% em agosto em comparação ao mesmo mês do ano passado, mostraram dados alfandegários nesta segunda-feira, enquanto os desembarques dos Estados Unidos caíram drasticamente.

A China, maior importadora mundial de soja, levou 9,04 milhões de toneladas da oleaginosa do Brasil em agosto, ante 8,15 milhões de toneladas em 2020, segundo dados da Administração Geral das Alfândegas.

Em contraste, as importações dos Estados Unidos no mês passado caíram para 17.575 toneladas, queda de 89,4% em relação às 166.370 toneladas de agosto de 2020.

Os compradores chineses adquiriram de quatro a seis carregamentos de soja brasileira no início da semana passada, em meio a preocupações entre os importadores globais de que os atrasos nos embarques dos Estados Unidos após o furacão Ida poderiam durar até a alta temporada para as exportações dos EUA.

Ida atingiu a costa da Louisiana no final de agosto antes de se dissipar no início de setembro.

No geral, a China importou 9,49 milhões de toneladas de soja em agosto, ligeiramente abaixo dos 9,6 milhões de toneladas de um ano atrás.

(Reportagem de Hallie Gu e Tom Daly)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).