SÃO PAULO (Reuters) – O Brasil deverá colher em 2021 cerca de 46,7 milhões de sacas de 60 kg de café, estimou nesta quarta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que já com a colheita dos grãos canéforas em andamento reduziu a projeção para a safra total do país ante o mês anterior em 0,6%.

Na comparação com a safra passada, a produção total de café deverá recuar 24,3%, acrescentou o IBGE, citando uma menor produção de arábica, devido à seca e ao ano de baixa produtividade da cultura.

Segundo o IBGE, a área plantada apresenta declínio de 5,1% e a área a ser colhida, de 5,3%.

Para o café arábica, a produção estimada foi de 31,8 milhões de sacas, declínio de 1% em relação ao mês anterior e de 33,2% na comparação com 2020, que teve uma produção recorde.

“Em 2021, a safra de arábica será de bienalidade negativa, o que deve resultar em uma retração expressiva da produção. Além disso, o clima quente e seco, na maior parte de 2020, principalmente, quando as flores estavam abrindo, no segundo semestre, pode ter limitado o desenvolvimento das lavouras, resultando em frutos menos pesados”, disse o instituto.

Já a safra de café canéfora (robusta ou conilon) deverá atingir 15,2 milhões de sacas, crescimento de 0,4% em relação ao mês anterior e aumento de 5,4% em relação a 2020.

No Espírito Santo, maior produtor brasileiro de conilon, a estimativa encontra-se em 10,4 milhões de sacas, crescimento de 0,7% em relação ao mês anterior e de 10,5% na comparação com 2020.

No próximo dia 25, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) deverá divulgar sua segunda projeção de safra de café do Brasil.

A colheita de café canéfora deve ganhar força nos próximos dias no Espírito Santo, disse na véspera o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), confirmando reportagem da Reuters da semana passada.

“Até o início de maio, o alto o percentual de grãos verdes ainda impedia grandes avanços das atividades”, explicou o centro de estudos.

O Cepea disse também que catações pontuais de café arábica já têm ocorrido em todas as regiões, “mas a colheita deve ser efetivamente iniciada após a segunda quinzena de maio, ganhando ritmo em junho”.

(Por Roberto Samora; Edição de Luciano Costa)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).